domingo, 24 de março de 2013

Quem procura... Matemática acha!



 Coelho, sai da toca!

No pátio, desenhem círculos, que serão as tocas.
Cada aluno deverá ficar dentro de uma toca, menos um aluno, que será o pegador. Ele fica no meio das tocas.
Quando a professora disser “Coelho, sai da toca!” todos devem trocar de toca.
O pegador tenta pegar uma toca para ele mesmo. Se ele conseguir, o aluno sem toca passará a ser o pegador.
Ganha a brincadeira quem for o pegador menos vezes.


A leitura, em sala de aula, de textos instrucionais é importante, pois necessita por parte do leitor,  atenção para executar uma tarefa. Nem sempre nossos alunos demonstram essa habilidade facilmente. É no dia a dia que ela se desenvolve através de atividades que necessitam diretamente dessa capacidade.





Dia desses, brincamos de Coelho, sai da toca! Primeiramente, lemos algumas vezes as instruções da brincadeira para que todos pudessem compreender o jogo. Após, fomos ao pátio e começamos a resgatar oralmente o que deveria ser feito. Foi interessante como todos participaram com bastante interação e alegria.





Ao terminar o jogo, as crianças fizeram registros:




Outra coisa bem legal que fizemos foi buscar uma relação entre a brincadeira e um quadro de Kandinsky (Alguns Círculos). Eles observaram que em ambos os casos havia a presença de círculos. A Matemática estava presente na Arte e na brincadeira. Dessa forma, refletimos: Onde mais a Matemática pode estar escondida? A partir desta questão “problema” temos algo para solucionar. Foi daí que surgiu o Projeto: Quem procura... Matemática acha!
Finalmente achamos nossa questão problema, pois ela é o fio condutor do trabalho com Projetos, como diz Hernández:

“Saber encontrar esse problema é possivelmente uma das tarefas mais complexas e que requer maior flexibilidade no momento de trabalhar com Projetos, pois reclama não só termos claros os fundamentos da teoria que os sustenta (globalização, aprendizagem significativa, avaliação formativa, interpretação das interações na sala de aula, caráter aberto do planejamento), mas também possuir um certo hábito de refletir sobre a prática e muito especialmente saber que o Projeto é, em última instância, uma desculpa para que o aluno realize sua própria aprendizagem.”

Um projeto parte sempre de um problema. Se não há problema, por que pesquisá-lo?
A partir de então, cada criança lançou sua hipótese de onde estaria escondida a Matemática:
No calendário, na casa, na escola, na internet, nas máquinas, nos jogos, nos objetos, no céu, na borboleta, no nosso pensamento, na música, nos livros, nas atividades, no elevador, na natureza...

Cada hipótese dessas será explorada. Lógico que há Matemática em tudo isso, mas a intenção é ir além... Buscar a sistematização de alguns outros conteúdos “escondidos”!

Andre, por exemplo, ao falar da presença da Matemática na borboleta, quis dizer que viu uma borboleta que tinha o numeral 88 nas asas. Mas, ao explorarmos mais essa hipótese poderemos encontrar, quem sabe, a simetria, logo, uma  Matemática escondida!

A ideia inicial é essa! A aventura está apenas começando!



Alguns Círculos   Kandinsky

Estamos "de olho"!





Bibliografia:
HERNÁNDEZ, Fernando; VENTURA, Montserrat A organização do currículo por projetos de trabalho. Tradução de Jussara Haubert Rodrigues. 5. ed. Porto Alegre: Artes Médicas, 1998.


6 comentários:

  1. Obrigada, Kelly!
    Também me inspiro em você!
    Beijos,
    Ana

    ResponderExcluir
  2. Olá, minha querida professora Ana Lúcia quando vejo e leio esses trabalhos extraordinários, fico imaginando quanta coisa poderia fazer se eu estivesse trabalhando em sala de aula. Mas nem todos conseguem consolidar uma carreira na área de sua formação. É uma pena, pois existem pessoas maravilhosas que com certeza iriam contribuir muito na formação de nossas crianças.Mas eu ainda tenho esperança (rsrsrsrs)...
    Estou até fazendo uma nova graduação em Biologia ( Ana essa realmente tÔ suando pelo cerebro kkkkk) pela UENF/ Cederj no polo de Petrópolis. Eu quero aprofundar-me na área leitura e escrita, se souber de alguma pós sobre leitura e escrita me dá um toque. Bjks e forte abraço carinhoso de sua admiradora Marcia Santos

    ResponderExcluir
  3. Márcia,
    Deus sabe de todas as coisas... Certamente Ele sabe que pode contar com você em qualquer situação, pois você se doa em tudo o que faz. Para tudo há seu tempo... Continue tentando e suando, né?
    Beijos,
    Ana

    ResponderExcluir
  4. Delícia!!!
    Aceita uma criança crescida nesse grupo?
    Lica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lica,
      Só se o Joaquim vier junto! Meu grupo na semana que vem terá 27 crianças, mas estamos aceitando quem chegar com muita alegria!
      Beijos,
      Ana

      Excluir